Início > Uncategorized > Globo Esporte:Hernan Barcos respondendo reporter da Globo a altura

Globo Esporte:Hernan Barcos respondendo reporter da Globo a altura

Achei corretíssima a reação do atacante Hernan Barcos a estúpida brincadeira feita pelo repórter da Globo Leonardo Bianchi da Rede Globo,que como mostrado no vídeo abaixo compara o argentino do Palmeiras ao cantor Zé Ramalho.
Barcos respondeu a altura ao repórter,mesmo utilizando palavrões o argentino do Palmeiras deixa claro que o centro de treinamento é seu local de trabalho e ali as coisas devem ser tratadas com seriedade,devendo ser discutido apenas futebol sem espaço para jornalismo moleque como o praticado atualmente pelo programa Globo Esporte que tem passado dos limites com tantas idiotices.

Barcos colocou em prática algo que os jornaleiros constantemente batem na tecla quando por exemplo torcedores vão cobrar resultados em centros de treinamentos,a famosa frase:Local de treinamento é sagrado e os jogadores devem ser respeitados em seu espaço.Perfeita a análise de nossos jornaleiros,porém a conduta também deve ser seguida a risca também pela imprensa que está ali para questionar e não realizar trabalho circense.

O engraçado é ver o corporativismo da imprensa paulista que resolveu atacar via twitter(o novo palco de guerra de nossos jornaleiros) as palavras do atacante,como se ele estivesse errado em reagir a provocação do inocente global que achou o máximo expor o atacante ao ridículo e transforma-lo em um ídolo trash quando o foco do atacante parecer ser apenas jogar futebol e se estabelecer no futebol brasileiro.

Não gosto nem um pouco do jornalismo troller praticado atualmente pela Globo na hora do almoço,sinto saudades de quando o Globo Esporte era sério e focado apenas em esportes,ainda prefiro a chatice do Neto a boçalidade do Leifert e de alguns reporter engraçadinhos da Rede Globo.

Boa sorte Barcos e siga focado apenas em marcar gols e não levando desaforos pra casa…


Anúncios
Categorias:Uncategorized
  1. Flavio Rodrigues
    17/02/2012 às 10:53 am

    qta seriedade, nossa, claro que o cara não é obrigado a gostar, mas, não foi nada pejorativo, até pq o Zé Ramalho não é nenhum zé mané, ou é? pelo contrário, e se ele não gostou, ok, podia ter saído por cima, mas, foi ignorante e perdeu a razão… e esse Barcos é um fresco, não é a primeira vez que se estressa com uma piada… Quero ver ele responder a altura qdo vierem as críticas maldosas, as pauladas, defender a altura o clube dele quando a imprensa começar a falar suas asneiras, qdo acontece isso, quase nenhum jogador tem coragem de bater de frente com jornalista algum… isso sim eu queria ver… agora, esse tipo de atitude do Barcos é deprimente…

  2. Cinthia Gazola
    17/02/2012 às 11:47 am

    Ele fez o correto….
    Esses reporteis acham que tem o direito de falarem o que querem e não é bem assim.

    Bem feito,tomou gostoso…e agora acho que aprende pq ele nem bem chegou e ja acham que tem a liberdade pra isso.

    Léo Bianchi agora aprende….junto com o besta do Thiago Leifert.

  3. Múcio Rodolfo
    17/02/2012 às 11:57 am

    1- É que alguns jogadores se prestam ao papel de palhaços da jornaleirada e esta confunde achando que todos são iguais……..
    2- Sobre o corporativismo da mídia esportiva. Anos atrás o Flávio Aloprado teve um piti só porque um jogador colombiano contratado pelo Palmeiras -acho que era o Trellez ou coisa parecida- corrigiu numa coletiva de apresentação a pronúncia do seu nome.
    3- Devia-se instituir o troféu Ronaldo Giovanelli para todo jogador que responde a altura as provocações desta mídia metida esportiva.

  4. João
    17/02/2012 às 2:18 pm

    Eu acho que sempre que nós pretendermos fazer qualquer coisa contra outra pessoa, devemos em primeiro lugar nos colocarmos no lugar da “vítima”. Se você se sentir bem com isso, vai em frente a assuma as consequências.
    Como será que o jornaleiro da Grobo se comportaria em uma entrevista coletiva, se ao invés de ser o piadista, fosse o motivo da piada, bem ali, no meio de todos os seus colegas?
    Piadas inapropriadas à parte, esse caso me lembra o da apresentação do Emerson Sheik no Corinthians. O jornaleiro pendurou a melancia no pescoço e foi lá perguntar sobre um problema jurídico dele de alguns anos atrás. Detalhe: ele ficou jogando quase 3 anos no RJ e nunca ninguém lembrou disso. Bastou vir para o Corinthians e lá vem o jornaleiro todo sorridente e pimpão com a sua suposta bomba ou notícia polêmica. Poderia até fazer a pergunta, mas em um momento mais apropriado e talvez até em uma entrevista exclusiva, mas preferiu os holofotes dos colegas. A sorte do sujeito é que o Corinthians trata a abutraiada com leite e mel, e deixaram a coisa como ficou. Se fosse por mim, ficaria um longo tempo sem poder passar nem na porta do CT. Nem ele e nem o veículo de comunicação que ele trabalhasse.
    Quanto aos programas da hora do almoço, entre o Neto e o Leifert eu prefiro desligar a tv.
    Esse jornalismo esportivo no estilo programa do Bozo já encheu o saco. Quero ver os assuntos sendo tratados com um pouco mais de seriedade. Será que tudo agora no mundo é motivo de piada? Tudo tem que ser tratado com galhofa?
    Dizem que se não tiver gozação tudo fica mais chato, o futebol fica sem graça. Mas essa gozação já passou do limite faz muito tempo. Está na hora de rever os conceitos. A minha audiência nenhum deles tem.

    • Wilson Timão
      17/02/2012 às 3:36 pm

      O Leifert é um rapaz inteligente, filhinho de papai, que caiu de paraquedas e faz o jornalismo estilo palhaço.

      O Neto é um semi alfabetizado que está aí graças aos seis meses de bom futebol que jogou em 90 pelo Corinthians e faz o jornalismo estilo canalha.

      Em comum ambos são levianos e egocêntricos.

      O Neto ainda pode carregar os adjetivos de invejoso, corno, cafajeste, ingrato, rancoroso, hipócrita, dedo duro, traiçoeiro , puxa saco e covarde.

      Desses adjetivos o Tiago Leifert por enquanto está fora.

      • João
        18/02/2012 às 8:49 am

        Até que enfim eu encontrei alguém que tem o mesmo pensamento que eu sobre este canalha chamado Neto. Inclusive na questão dos 6 meses de bom futebol (que convenhamos ainda é exagero, jogou deverdade somente nas fases decisivas daquele campeonato).
        Por causa disso, hoje ele pensa que é o maior jogador da história do clube, sendo que não serviria nem para ficar entre os 100 maiores.
        É apenas mais ingrato, que como muitos espalhados por aí, usa o Corinthians para ganhar dinheiro. E como este salafrário está faturando…

        O Neto ainda pode carregar os adjetivos de invejoso, corno, cafajeste, ingrato, rancoroso, hipócrita, dedo duro, traiçoeiro , puxa saco e covarde. (2)
        Com grande enfase para o invejoso e traiçoeiro.

  5. Múcio Rodolfo
    18/02/2012 às 10:22 am

    Talvez eu já tenha escrito isto por aqui mas…………certa vez eu ouvi o Neto criticando um determinado jogador do Corinthians num jogo decisivo dizendo que tal jogador estava escondido. Pensei: “Tá bom, Neto. E o que vc fez naquela final contra o Chiqueirense em 93?”. Naquele dia ele também sumiu! Quem ouve o Neto comentando e mostrando como cada jogador deveria executar os lances de uma partida fica com a impressão que ele foi um dos 5 melhores jogadores do Mundo em todos os tempos! O cara foi tão “infalível” na cobrança de faltas que diante dele, o Cláudio Cristóvão do Pinho ficaria com complexo de inferioridade -isto se o grande Cláudio se incomodasse com este tipo de coisa. Sobre ele como jogador, não concordo que ele tenha tido apenas seis meses de bom futebol no Corinthians. Entre 1989 e 1991 ele foi decisivo naquele time bonzinho que o Corinthians possuía. Me lembro de várias vezes chegar em casa, após a aula, e o meu pai me informar que haviamos ganho com um gol dele. Depois degringolou. Na própria decisão do CB de 90 ele foi mal. No primeiro jogo perdeu dois ou três gols na cara do Zetti por falta de condições físicas! Gols que nos daria uma enorme vantagem para a segunda partida. E hoje ele critica o Adriano! Tudo bem que existe aquele ditado “faça o que eu digo e não o que eu fiz”. Mas tal ditado cai bem quando dito em tom de conselho e não com a voracidade de um inquisitor. Coisa que o Neto não tem moral para ser.

  6. Wilson Timão
    18/02/2012 às 11:31 am

    A verdade é que o Neto fez apenas nove gols no Brasileiro de 90, o primeiro dia 09/09 e o último dia 06/12 o que dá quatro meses de vida util. Nos dois jogos da final contra o São Paulo ele se escondeu e os gols foram marcados por Wilson Mano e Tupãzinho.

    É óbvio que o Neto teve sua parcela de contribuição, mas dizer que ganhou sozinho é um desrespeito e ingratidão em primeiro lugar com a Fiel que foi o 12º jogador e sempre apoiou e empurrou o time.

    É desrespeito e ingratidão com o clube e elenco, que diferente da mediocridade e falta de qualidade que fala o Neto e parte abutre da imprensa, era muito bom, formado por jogadores que são ídolos pela garra que a fiel adora como Ronaldo, Wilson Mano, Marcio, Ezequiel e Fabinho, por jogadores de grande qualidade técnica como Giba, Marcelo, Tupãzinho, Paulo Sergio e Dinei e jogadores que fizeram um bom campeonato como Guinei, Jacenir e Mauro. E não podemos esquecer do técnico Nelsinho Batista e do presidente Vicente Matheus. Todos foram muito importântes.

    O egocêntrico Neto quando fala que era bom bagaraio e que ganhou sozinho o primeiro titulo brasileiro do Timão demostra seu mau caráter é extremamente desrespeitoso e ingrato com a Fiel, o Corinthians e os companheiros.

  7. Wilson Timão
    18/02/2012 às 3:42 pm

    Pessoal prestem atenção nas narrações do Kleber Machado.

    Corinthians:
    Impedimento do ataque do Corinthians
    O juiz marca falta para Corinthians
    E o juiz marca pênalti para o Corinthians

    Adversário:
    O bandeira marca impedimento do ataque …
    Falta para o …
    Pêeeenalti para o …

    Ele sempre deixa implícito que quando favorece o adversário foi sem sombra de dúvidas e quando favorece o Corinthians pode ter ocorrido algum “erro” de interpretação da arbitragem.

    • Wilson Timão
      18/02/2012 às 4:58 pm

      Como está sendo bom ver o jogo com a narração do Milton Leite e os comentários do Caio. O Caio também é decente e respeitoso em relação ao Corinthians, bem diferente do ex nóia Casagrande que só sabe secar e falar mal do Timão.

    • Múcio Rodolfo
      18/02/2012 às 6:31 pm

      Eu estava revendo no iutubi os gols da vitoriosa campanha do Timão na Copa do Brasil de 2009. Houve três penaltis a favor do Corinthians (Itumbiara, Misto-Ms e Atlético-Pr) e em todos eles o dito narradeiro gritou “e o juiz marcou penalti”.

      • Wilson Timão
        18/02/2012 às 6:59 pm

        Taí Múcio, não é minha mania de perseguição dessa vez. Conversando agora com meu filho ele falou que na quarta o Klebér mandou um: começa a participação do Corinthians na Libertadores e deu uma risadinha. Ele tirou o som da TV e ligou o radio para não passar raiva. Temos pedir para esse cara não narrar mais jogos do Timão.

  8. carlos alberto
    21/02/2012 às 12:32 am

    Silvinho, não que tenhamos nada a ver com isso.

    Mas olha só o enfoque da imprensa “maldita” (pode incluir o Globo Esporte):

    “Lucas foi pular o carnaval em Salvador, não treinou de manhã e preferiu treinar à tarde. Legal isso, né? Olha só como o clube é moderno, pois deu a chance de o jogador “escolher”!!!”

    Vc já pensou se fosse algum jogador do Corinthians que “optasse” por treinar à tarde pelo simples motivo de ter ido pular o carnaval em Salvador??????

  9. Roberto
    22/02/2012 às 3:47 am

    E pelo ao contrario o kleber machado torce discaradamente pelo corinthians em suas transmissoes quando o corinthians estava mal no brasileiro de 2007 a cada lateral que o corinthians batia certo ele se virava e perguntava para o casao o corinthians ta melhorando ne casao isso ele faz ate hoje e uma vergonha

  10. 25/02/2012 às 7:43 am

    Parabéns, Gustavo, mais um ótimo post, concordo plenamente!! E mais:

    1- O bambi Leifert foi quem impôs esse estilo patético-bobo-alegre ao programa G.E. , metido a engraçadinho, mas na verdade pouco informativo e sem criatividade. Alguém poderia informar ao Barcos que o apelido do repórter Bianchi é “girafão” e do Tiago é “cabeça de bola de tênis”! ;

    2- É insuportável assistir o Timão com narração do santista Cléber Machado! Ele e o antipático Arnaldo César só comentam lances de arbitragem contrários ao Corinthians, é ridículo e lamentável. Não queremos ninguém a nosso favor, puxando nosso saco. Só queremos e exigimos bom senso nas análises e opiniões! ;

    3- O Neto muito fraco como comentarista. E muito bunda-mole pra se dizer corintiano! Tem que ser muito cagalhão e puxa-saco pra defender o panetone como estádio da Copa em SP… mas também pudera, ele mesmo já disse que vários familiares são bambis… E a campanha dele contra o Adriano é nojenta e covarde! Neto sempre foi um anti-atleta, não tem moral pra falar de ninguém, muito menos ficar citando salário alheio! Quero ver quando torcedores questionarem ele sobre o baita salário que ele ganha só pra dizer asneiras sem nexo na tv e no rádio…

    4- Quem merece atenção do torcedor corintiano é o medíocre gaucho-cholorado Alexandre Preatzel, ANTI-CORINTIANO DOENTIO !! Esse trouxa não esconde o ódio que tem do Corinthians, diariamente opinando contra o Timão, sempre com piadinhas e ironias, sem sequer tecer um elogio que seja. É anti-Itaquera patológico, afirmando em um programa de rádio, ano passado, que “iria construir uma casa em sp e também pediria incentivo fiscal à prefeitura” !! E sobre a confusão do atraso nas obras do estádio gaúcho, ele fez algum comentário?? NENHUMMM !! Inclusive, quando da final da Copa do Brasil 2009 entre Timão e timinho do dvd , ele levou informações, que colheu como repórter dos treinos do Corinthians, ao então técnico cholorado, Tite. Olho nesse trouxa, Fiel !

  11. Jorge Soares
    25/03/2012 às 2:28 pm

    Depois que Fernando Vanucci saiu do Globo Esporte em 1999, este programa virou um circo. Só fazem essas matérias querendo dar uma de engraçadinhos. Sem dúvida nenhuma virou a pior atração do horário do almoço (prefiro os noticiários policiais). A obrigação do jornalista é dar a notícia, como ela é, e não ficar soltando gracinhas com os entrevistados e com agremiações esportivas. Meus parabéns a este jogador, o Barcos e a outros como Loco Abreu (Botafogo/RJ) que também já deu uns foras neses palhaços travestidos de repórteres.

  12. Mariz Menezes
    27/03/2014 às 5:33 pm

    O argentino Barcos deveria até agradecer de ser comparado a Zé Ramalho .
    Barcos alterna bons e maus momentos como jogador, enquanto Zé Ramalho é sempre bom

  1. No trackbacks yet.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: