Início > Uncategorized > Imprensa Paulista: 12/12/2012 Morte do jornalismo esportivo

Imprensa Paulista: 12/12/2012 Morte do jornalismo esportivo

Na verdade o jornalismo esportivo paulista já morreu há algumas décadas, mas ontem dois fatos fizeram o enterro formal dos incompetentes jornaleiros personificados em nomes como Vanderlei Nogueira,Luis Ademar,Flávio Gomes,Alexandre Praetzel entre outros.

O primeiro fato ocorreu em Toyota no Japão, jornalistas brigando com as imagens e tentando provar que não havia mais de 10 mil corinthianos torcendo por seu clube contra o Al-Ahly, como exibido na foto abaixo contra imagens não há o que argumentar… Não é mesmo Vanderlei Nogueira?Não é mesmo Luiz Ademar Junior?Não é mesmo Flávio “Bichona” Gomes?

Image

 

O segundo e mais grave na final da Copa Sul-americana, que até pouco tempo não valia nada mas com o São Paulo na final passou para a mídia paulista a ter o mesmo valor da Copa Libertadores… Não sabemos quem iniciou a confusão nos vestiários do Tigre, os jogadores argentinos se contradizem no discurso, a PM não é conclusiva nas entrevistas sobre o assunto e o São Paulo não se manifesta.

O vergonhoso é a imprensa paulista não averiguar o ocorrido, exceto a Fox Sports que tentou mostrar os dois lados e dar alguma conclusão sobre o caso, o restante da imprensa paulista tomou partido do clube brasileiro, ficou ofendendo os atletas argentinos e alguns mais exagerados incitando mais violência contra os argentinos.

Image

Os atletas e diretivo do Tigre não são bonzinhos como aparentaram nas entrevistas para a Fox Sports, mas não abandonariam o campo apenas por estarem perdendo o jogo, provavelmente foram agredidos por seguranças do São Paulo e PM, os motivos das agressões não foram apurados por aqueles que deveriam se preocupar em relatar os fatos e não tomar partido.

12/12/2012 RIP IMPRENSA ESPORTIVA.

Anúncios
Categorias:Uncategorized
  1. Múcio Rodolfo
    14/12/2012 às 12:33 am

    1- Eu acho a sulamericana uma competição importante. Eu me lembro da festa que a torcida fez quando o seu time a conquistou em 2004. Foi inclusive a despedida do Tevez antes de vir ao Corinthians. A diferença é que os argentinos não menosprezavam a competição, coisa que os vila-sonianos fizeram o tempo todo. (A própria imprensa esportiva seguiu por este caminho. O que eu acho um erro. Toda competição criada aqui na América é criticada pelos nossos jornaleiros “especializados”) É como se vc ridicularizasse o Miojo e tempos tivesse que se fartar com…….Miojo!. Ontem foi uma espécie de coito interrompido. Alegar que fugiram de tomar uma goleada é mais uma manifestação de arrogância bambi. Bastava o time argentino se fechar lá atrás, continuar distriubindo ponta-pés, catimbando o jogo…….Se não quiseram voltar é porque alguma coisa aconteceu no vestiário….
    2- Como seriam as manchetes se o clube envolvido fosse o Corinthians? “Confusão mancha conquista corinthiana”. “Título inexpressivo ameniza temporada mediocre”. “Reclamando da arbitragem, time argentino abandona partida e estraga festa corinthiana”. O segundo gol seria reprisado umas trezentas vezes até convencerem que a jogada foi irregular e dar razão a tese de apito amigo corinthiano.
    ——————————————————————————————————————-
    A nossa torcida é de “faz de conta”. É invenção da Globo. A plim-plim mostra a nossa torcida e não mostra a dos outros. Eu li isso no blog do Odir Cunha. O pessoal me chama de masoquista por ler blogs antis. Eu leio para ter noção do que eles pensam. Leio meio por cima. O suficiente para captar algumas besteiras. TEm neguinho saltitante porque uma emissora perguntou aos torcedores ingleses do Chelsea se conheciam o Corinthians e todos disseram que não. Mas conheciam o Manjubinha e o menimo mimado. Eles ficaram alegrinhos por causa disso. Eles esquecem que existe uma coisa chamada edição. TEm aquilo que eu vivo dizendo: quem acompanha futebol conhece os principais clubes do mundo e o Corinthians, quer os nossos “miguinhos da imprensa” queiram ou não, está entre eles.

  2. jrs
    14/12/2012 às 2:25 pm

    Bom e difícil discutir quando se trata de blog de sccp para sccp, agora creio que só o possível falar com tanta afirmação de algo que se pode ver no caso do sscp não vou comentar pq não assisti o jogo e não me interessa. Agora sobre o são paulo quem viu confirma este time e muito fraco e sabia desde o inicio que não venceria na bola e partiu para agressão e técnica dos futebol portenho dos anos 70/80 qdo os torneios sudamericanos eram da supremacia portenha ou seja violência em campo, violência extra campo, catimba, xingamento, provocação (que funcionou com LF9 no primeiro jogo), sendo assim fica claro que futebol não foi o principio deste small time portenho portanto não podem chorar pq no minimo posso dizer com certeza que perderam na bola e na porrada… sobre a valorização e natural as TVS com pouca audiência hj em dia valorizam ate torneio de bocha entre flamengo x fluminense… O Morumbi e palco de grandes decisões na historia com confusões ou sem isso faz parte do futebol..

    • Múcio Rodolfo
      15/12/2012 às 11:37 pm

      A enorme diferença entre os times argentinos campeões dos anos 70 e este Tigre moribundo e indigente é os primeiros tinham jogadore sque resolviam, ou seja, jogadores habilidosos e decisivos. Esta história de que eles batiam, apelavam pra violência e que nós brasileiros eramos leais, aversos a botinadas, a provocações não me convence…..Quanto ao perder na bola e na porrada, é meio controverso porque quem devolveu as porradas não foram os jogadores do SPFW. Ai sim seria mais bonito. Como eu disse no meu comentário anterior, a treta com o zagueiro do Boca quem resolveu foi o próprio Emerson. Quando a coisa ficava feia para o nosso Luizinho, o Goiano ia lá e dava um jeito. Ninguém precisava recorrer a segurança marombados pra dar o troco. E para não dizer que eu só falo no SCCP, vou citar o exemplo do Flamengo em 81. Na final, o adversário bateu no Chile e continou batendo no Uruguai (na terceira e ultima partida). O então iniciante técnico Carpegiani colocou um garoto chamado Anselmo com a seguinte orientação: “vai lá em quebra a cara daquele gringo filho da p…..”

  3. Ronx
    14/12/2012 às 4:14 pm

    Sou corinthiano, mas acho que tem que descer o cacete nesse argentinos, mesmo. Claro não descambando pra violência(mas já descambando), mas NUNCA que vc vai jogar na Argentina, sendo um time do Brasil, que eles não comecem a provocar. Não tem UM time argentino que não catimbe. Lembram do Schiavi batendo no Emerson na final da Libertinha?? Argentino não gosta de brasileiro. Argentino não paga pau pra brasileiro. Aqui você vê um monte de neguinho com camisa da Argentina, puxando saco de Maradona(que só zomba da gnt). Na Argentina não tem camisa da Seleção na rua, não!! Não vai chegar lá e vai ter argentino falando bem de brasileiro. Em todo jogo lá os cara das aquelas “pancadinha” por baixo. Cabeceia em cima e te chuta por baixo. Te desarma e te “encosta” o cotovelo por cima. Tem que tratar eles, no mínimo, do mesmo jeito. Têm que chegar aqui e saber que tem homem aqui, ninguém foge de argentino, não!!! Tem otário aqui, não!!!!

    • Múcio Rodolfo
      14/12/2012 às 8:02 pm

      Ronx……argentino catimba. E nós brasileiros? Jogamos limpos? Não catimbamos? Então, podemos concluir que a catimba é exclusiva dos argentinos, a violência é monopólio dos uruguaios e…..o futebol clen é dadiva dos brasileiros? Vc citou o caso do Emerson….Repare que quem resolveu a parada foi o próprio Emerson. Não precisou de seguranças marombados para isso. ….O que chama a atenção nesse caso é a postura da imprensa para a qula basta um diretor do SPFW dizer que foi assim, para ela difundir que o caso foi explicado, esclarecido. Como disseram num outro blog que frequento: a imprensa age como porta-voz extra oficial dos bambis.

    • Claudio Marques
      15/12/2012 às 9:33 am

      Com esse preconceito absurdo você só pode ser bambi e não corinthiano. Tudo tem que ser feito dentro campo e pelos jogadores. A diretoria dos bambis já mandou prender jogador, mandou seguranças bater em jogadores (lembre-se que teve um jogo que o Internacional reclamou da truculência destes seguranças).
      Só torço para que os bambis encarem o Tigre na Libertadores. Quero ver o que essas mocinhas vão fazer para jogar lá na Argentina.

  4. Ronx
    14/12/2012 às 8:43 pm

    Múcio, sim!! Não somos catimbeiros, como são os argentinos, e somos mais limpos que els, no futebol. Vamos fazer um exercício. Pegue os volantes e zagueiros brasileiros e argentions que jogam na Europa. Alguns que você conhece. Me diga: Quais são masi “violentos” e catimbeiros? Quantos dão mais pancada de “malandragem”? Repare! Os zagueiros e volantes deles são mais violentos e encrenqueiros. Veja. Faça um paralaleo e vejo. (disse na Europa pq aí a comparação fica mais em pé de igualdade, já que estão os dois em território neutro). Agora, em nível de receptividade, nem se fala. Imagina: Um time brasileiro qualquer: Atlético Goianiense vai receber o time argentino XY. A primeira partida, se o time argentino vier jogar bola, o Atlétioc Goianiense, e quase nenhum clube brasileiro, não vai ficar provocando gratuitamente. Não é do brasileiro(salvo exceções, óbvio). Já um time argentino… Pense: Vai receber qualquer time brasileiro com aquela famosa “hostilidade” argentina. Tipo: Eles provocam gratuitamente, a gnt responde. Seeeeempre parte deles. Repare!! Quanto a imprensa: Como corinthiano devo admitir que como existe a imprensa porta-vox dos bambi, existe a imprensa “bem corinthiana”, também.

    • Múcio Rodolfo
      14/12/2012 às 9:57 pm

      Ronx….o ultimo inocente no futebol foi o Kaká, mas depois que levou aquela cacetada do Cocito deve ter deixado de ser…Eu vejo os moleques aqui de Pinda. Eles se provocam. As vezes partem para a cotovelada,para o ponta-pé disfarçadamente….O time argentino abusou da violência sim. Abusou porque tecnicamente era muito inferior. Apelaria menos se fosse um Velez ou um Racing ou um Estudiantes….Por outro lado, o time brasileiro também bate….Da mesma forma como alguns argentinos não respeitam os brasileiros, os brasileiros não respeitam os argentinos. Vide as propagandas que envolvem os dois. O Tevez era caçado aqui sem dó nem piedade e os nossos jornaleiros diziam que “futebol é coisa pra macho”. Enquanto isso pediam proteção dos árbitros para o pedaladeiro. Houve uma tremenda vibração por parte da imprensa quando o Edilson deu aqueles dribles humilhantes nos Mascherano. A reação não teria sido essa se o volante fosse o Mineiro ou o Josué……Ah: houve algum incidente no jogo do Corinthians diante do Boca na Bombonera? Torcida xingar é normal. Eu digo incidente grave…..Por que as coisas são acontecem com o clube imaculado?

  5. Claudio Marques
    15/12/2012 às 9:49 am

    Perfeito o seu comentário. Acrescento ainda o Fernando Sampaio que disse que o São Paulo ganhou mais um título da Fifa (tava bêbado ou era reflexo da inveja pelo Mundial Fifa) e o bambi Menon que resolveu requentar a ladainha do Odir Cunha e ainda contrariar as imagens dizendo que não houve invasão alguma.
    A pior atitude foi do abjeto Flávio Gomes (um cara que acha que a idolatria ao Senna é coisa de brasileiros) que ao ler um e-mail de um telespectador que disse que ia torcer contra o Corinthians no Mundial mostrou um sinal de positivo. Eu nem quero a torcida desse energúmeno, um sujeito que torce para a Portuguesa e gosta de DKV, já mostra o seu péssimo gosto.
    Quanto a Copa Sul Americana vou pegar emprestado o comentário de um internauta em outro blog (infelizmente não me lembro o nome do autor); Ganhar a Copa Sul Americana é muito difícil, na verdade disputá-la já é muito difícil, pois para isso o time não pode ter vencido a Libertadores do ano anterior, não pode ter ganho a Copa do Brasil e não pode ter se classificado entre os cinco primeiros do campeonato brasileiro do ano anterior. Muuuito difícil!!!!

  6. Ronx
    15/12/2012 às 10:40 am

    Múcio, concordo com você quanto a não inocência dos brasileiros. O Kaká ainda é meio inocente, eu acho. Rsrs. Mas kra, o que digo é(salvo o caso do Tevez que foi mega caçado aqui no Brasil) um time brasileiro, se não for como resposta, não é violento como o argentino. Tipo: Um time brasileiro recebendo um time argentino, pode ser realmente violento, às vezes não. Um time argentino sempre será violento, hostil, sempre. Eu me lembro de jogo entre argentino e brasileiro, aqui no Brasil, que não foram recebidos com aquela “violência futebolística”. Agora, não me recordo de um time brasileiro que foi jogar lá e eles não trataram daquele jeito argentino. Resumindo: Brasileiro é violento, sim, em alguns casos. Argentino é violento, sim, em quase todos os casos. Lembrei do Tevez, o quanto ele apanhou aqui no Brasil, principalmente no começo, quando começou a jogar aqui, quando ele ainda tinha uma pequena fama de mascarado. Nossa!!! Lembro o quanto ele apanhou no Paulista 2005. Depois que viram que ele é humilde maneiraram com ele. Agora, se você acha que o Tevez apanhou aqui, imagina um Neymar, um Lucas ou Romarinho indo jogar na Argentina, no campeonato argentino. Não duravam uma semana. Rsrs

    • Paulo
      17/12/2012 às 11:40 pm

      Ronx, você tem razão, quanto à prevalência do jogo violento e catimbado, por parte dos argentinos ( o técnico Leão, de quem não gosto, como técnico e como pessoa, já foi, dentre outros, mais um vitimado pela selvageria e covardia argentinas ). Também não gosto deles, de um modo geral, acho um povo sem caráter, sem dignidade, com um patriotismo deformado, mas é preciso reconhecer que incitar seguranças à agressão de visitantes é também um fato de suma gravidade, e, no caso dos bambis, com antecedentes históricos bem localizados ( começou com a agressão ao juiz de um jogo contra o Bostinha, numa semifinal perdida no tempo de campeonato brasileiro, acho pelo menos que foi semifinal, mas não importa, porque o fato em si demonstra um “modus operandi” bambi bem definido, e que, a rigor, começou a se esboçar com Laudo Natel sentando-se no banco tricolino, no início da década de 70 ). Mais um fato a manchar a história já suficientemente manchada desse clube protegido pela mídia, porém indecente nos bastidores, e que mereceria, fosse a Conmebol uma instituição séria, uma punição exemplar.

  7. AndersonII
    07/01/2013 às 11:03 pm

    Estamos enojados de ver R7, Espn da vida destratarem o Corinthians por inveja ou ódio da Globo.

    O R7 por ter perdido no clube dos 13, os direitos dos campeonatos, e a ESPN por inveja profissional mesmo.

    Revelado no programa Arena do SPORTV, que hoje, os clubes europeus recebem mais, da venda de seus campeonatos, para emissoras de outros paises, do que das Tvs de seus proprios paises.

    Pois bem, a Globo que compra e mantém os clubes brasileiros, é a bandida, e eles, que compram o campeonato Inglês, e portanto remetem divisas de brasileiros assinantes para fora do pais, e pior, para financiar clubes de milionários Russos, sabe-se lá, milionários como é que são os bonitinhos e corretos?

    A ESPN, pode pagar para transmitir um Chelsea da vida, e se considera politicamente correta, e a Globo que sustenta os clubes nacionais é que é massacrada?

    Como o Corinthians tem a preferência, por causa de sua audiência, estamos enojados dessa pauta imunda dessas emissoras incompetentes, que não tem um décimo da competência da Globo, em bater no Corinthians para atingir por tabela seus inimigos por audiência.

    • Múcio Rodolfo
      09/01/2013 às 12:34 am

      Agora virou moda afirmar que o Corintians é o time da Globo. Dizem que o Corinthians não rende tanta audiência assim, que tudo não passa de uma farsa para se promover uma “espanholização” do futebol brasileiro, fazendo com que no país daqui a alguns anos só existam dois clubes grandes: o Corinthians e o Flamengo. Esse pessoal se esquece o quanto de audiência rendeu ao SBT a partida entre Corinthians x Grêmio na final da Copa do Brasil o qual foi a audiência obtida pela Bandeirantes na decisão do primeiro mundial de verdade. A Globo não seria idiota de enfraquecer os demais clubes, pois assim tornaria o campeonato brasileiro pouco ou nada interessante. A coisa chega a um ponto que os caras comemoram até queda na audiência do Globo Esporte. “Culpa” desta “aliança espúria” entre o Plim-Plim e o “time do mal”. Pelo que me consta não temos obrigação de manter a audiência da emissora. Se determinado programa global perde pro Pica-Pau e para as reprises do Chaves, o problema não é nosso.

      • AndersonII
        10/01/2013 às 5:42 pm

        E sem contar que escondem a 7 chaves esses canalhas, que o pai do Caio, comentarista, é Diretor do time das madames.
        Dorival Decoussau pai de Caio da Globo é nada mais nada menos do que diretor de comunicação delas.

  8. Wilson Timão
    12/01/2013 às 8:22 pm

    Se alguém tem alguma duvida que os jogadores do Tigres foram ameaçados com arma de fogo e espancados por seguranças responda as questões abaixo:

    1) Qual clube estava perdendo e no intervalo o presidente deste clube que também era o Governador imposto pela Ditadura Militar chegou de helicóptero, pousou no meio do gramado, foi ao vestiário dos árbitros, e no segundo tempo o virou o jogo com uma sucessão de “erros” da arbitragem.

    2) Qual clube foi mais uma vez beneficiado pela Ditadura Militar? Palavras do ex-jogador Reinaldo: Em 77 a ditadura era explícita. Os militares me impediram de jogar a final. Fui expulso um ano antes, mas guardaram o julgamento. Eu era o artilheiro do campeonato, fiz gol em todos os jogos, já tinha trocado de roupa no vestiário quando veio à ordem.

    3) Qual foi o clube que para prejudicar os rivais esburacou o próprio gramado com enxadas e picaretas e disse oficialmente não saber como os buracos apareceram?

    4) Qual foi o clube que aproveitou a queda acidental de um gás de pimenta da cintura de um de seus seguranças para tentar imputar a culpa no clube adversário?

    5) Qual o clube que efetuou a prisão em flagrante de um jogador adversário dentro de campo por injúria? Em um ato irresponsável, arbitrário e em desacordo com Código Penal Brasileiro que não prevê prisão em flagrante para esse tipo de crime.

    • Múcio Rodolfo
      12/01/2013 às 11:45 pm

      Wilson. Eu vi um trecho da entrevista do Reinaldo. Ele foi expulso na primeira fase do campeoanto brasileiro de 1977, num jogo contra o Nacional de Manaus (outubro). Empurraram com a barriga o julgamento do moço que não pode disputar a final. Ele disputou o primeiro jogo da semi contra o Londrina. Não atuou na segunda partida e nem na final. Foi uma vergonha! Nesses seus relatos ficou faltando a agressão sofrida pelo juiz Dalmo Bozzano, praticada por seguranças do clube exemplar, numa partida em que os Leonores perdiam de 2×0 e viraram na marra para. Isto aconteceu em 1981.

      • Claudio Marques
        13/01/2013 às 10:08 am

        Múcio, acho que vc se refere à partida São Paulo x Botafogo em 1981.. O árbitro nesse dia foi Bráulio Zanotto do Paraná. Levou uma baita prensa no intervalo (consta que diretores e seguranças chegaram a invadir o vestiário do árbitro, que por sinal vinha apitando normalmente). No segundo tempo o Botafogo passou a jogar ladeira acima (aquelas manjadas faltas de ataque) e os bambis viraram o jogo.

        PS.: se o jogo a que vc se refere não foi esse gostaria de saber mais detalhes desta partida arbitrada pelo Dalmo Bozzano.

      • João
        13/01/2013 às 11:49 am

        Múcio, o Wilson falou sim. Foi a questão nº 1.

      • Múcio Rodolfo
        13/01/2013 às 4:23 pm

        1- Cláudio, vc tem razão. Esta partida foi arbitrada pelo Bráulio Zanotto e não pelo Dalmo Bozzano.
        2- João, eu acho que o Wilson se refere no item 1 a um jogo no começo dos anos 70.

      • João
        13/01/2013 às 7:02 pm

        Múcio, depois que postei o comentário, fiquei o tempo inteiro pensando no assunto e qual vez que invadiram o vestiário que o Wilson quis dizer, e acho que você tem razão na sua citação.
        A questão é que aquela turma tem tantas histórias escandalosas, que deixa todo mundo confuso. Se não falar do escândalo específico, vai sempre ficar uma dúvida.

    • Wilson Timão
      13/01/2013 às 8:06 pm

      O clube exemplar é tradicional em ameaçar árbitros e adversários com seguranças armados. O Bráulio Zanotto apanhou de seguranças armados em 81 contra o Botafogo, essa não estava nas questões acima.

      A questão 1 foi no primeiro turno do Paulistão de 70 em Campinas contra a Ponte Preta. Nos jogos na capital o governador ficava sentado no banco e em caso de “necessidade” descia direto no vestiário dos árbitros. A Ponte foi roubada também no segundo turno e os bambys saíram do jejum que estavam há treze anos, desde a famosa tarde das garrafadas em 57 quando o Corinthians foi escandalosamente roubado e os bambys sairam do Pacaembu sem troféu e sem volta olímpica.

  1. No trackbacks yet.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: